domingo, 3 de março de 2013

O Nono Mandamento “O Deus de Toda a Verdade”.


(Êx 20:16) “Não Dirás falso testemunho contra o teu próximo” 

Introdução:

No ano 2000 uma reportagem baseada numa denúncia acusou um casal de orientais que administravam uma escola de reforço de abusarem sexualmente das crianças que frequentavam aquela escola. Após a prisão dos acusados, ficou provado que a denúncia era infundada e que não havia nenhuma prova que os incriminasse. Embora inocentados, a escola precisou fechar as portas, pois ninguém confiava mais naquelas pessoas.

Aprendemos muito cedo a mentir, e nos acostumamos a falar e a ouvir mentiras. Muitas vezes vidas são destroçadas por conta de uma mentira que alguém contou. A honra talvez seja a parte mais sensível do ser humano – o 9o mandamento trata da proteção desta área pessoal.  Assim como o sexto mandamento proíbe a injúria física, o nono mandamento proíbe a injúria através de palavras.

Segundo Lutero eis “a suma e o sentido geral desse mandamento: que ninguém deve causar dano ao próximo com a língua, quer se trate de amigo, quer de inimigo, nem deve falar mal dele, pouco importa se é verdade ou mentira, a menos que seja decorrência de mandato ou vise a melhorar”.

I-O Contexto em que o Mandamento foi Dado:

A primeira referencia específica dessa passagem é ao tribunal de justiça. Todos os dias os israelitas davam testemunho por meio do processo legal. Numa sociedade em que quase todos os crimes envolviam crimes capitas o “falso testemunho” bem sucedido seria equivalente a assassinato. Por isso, a testemunha contra alguém deveria também ser o executor (Dt 17:7):

As mãos das testemunhas serão primeiro contra ele, para matá-lo; e depois as mãos de todo o povo; assim tirarás o mal do meio de ti”.
Assim, se as testemunhas estivessem mentindo, também seriam culpadas do sangue da vítima.

II-O que Proíbe o Nono Mandamento?

De acordo com a resposta a pergunta 145 do CMW:

• Toda mentira que distorça o julgamento nos tribunais (Ex 20:16/ Dt 5:20) provavelmente referem-se aos tribunais de justiça (Lc 3:14/ Lv 19:15/ Pv 17:15).

• O suborno que contrata a falsa testemunha (At 6:13/ I Rs 21:8-13/ Mt 28:12-15).

• A mentira movida pela opinião pública (Ex 23:1/ Jr 20:10).

• A mentira movida pela atitude da multidão (Ex 23:2).

• A mentira movida pela compaixão ao pobre (Ex 23:3).

•Falar a verdade inoportunamente para um fim errôneo e uma cousa má (Sl 52:1-4/ 91/ Mt 4:6/ I Sm 22:9) ou distorcer o sentido da verdade, usando-a equivocadamente (Gn 12:11-13).

•O mexerico (Lv 19:11,16/ Sl 50:19,20) que pretende marcar a honra (At 2:13).

• Suprimir a verdade e silenciar indevidamente quando falar produzir a justiça (Lv 5:1).

• Usar de bajulação (Sl 12:2,3). Atitude típica do falso profeta (Jr 23:17/ 6:13,14/ 14:14) ou de fingimento (Jr 9:3-6,8).

• Aguardar as faltas dos outros (Is 29:20,21/ Mt 7:3) e suspeitar mal (I Co 13:4,5).

*O Nono Mandamento ordena que digamos a verdade em todos os momentos?

Sobre esse ponto nos diz o pastor Rushdoony:

“Nenhum inimigo ou criminoso tem direito algum de receber de nós nenhum conhecimento que possa usar para nos fazer mal”.

Nesse caso, se alguém nos perguntasse onde guardamos o nosso dinheiro ou a nossa arma em nossa casa, não seríamos obrigados a responder a essas perguntas com a verdade.

*Deus aprova a mentira? (o Deus da Verdade)

A resposta a essa pergunta deve ser negativa, Deus não aprova a mentira, pois se aprovasse estaria indo contra a sua própria natureza (Tt 1:2) “Deus não pode mentir”, Ele é o Deus da Verdade (Sl 31:5; Is 65:16;) Ele é a própria Verdade (Jo 14:6).

Contudo, o que dizer das mentiras de Raabe e das parteiras hebreias no Egito?
“Ver um roubo ou um planejamento de um assassinato e não dizer a verdade é como ser um cúmplice de tais crimes. No caso de Raabe, se ela tivesse dito a verdade nesse sentido teria sido cúmplice no crime contra aqueles homens”.
No caso das parteiras, “as parteiras mentiram porque temeram mais a Deus do que ao Faraó” (Rushdoony).

III-Cumprindo o Nono Mandamento

Os lados, Positivo e Negativo do Nono Mandamento.

Negativo: Não mentir

Positivo: Dizer na verdade

• Fale e promova a verdade (Ef 4:25) Promova a boa reputação dos outros, preocupe-se com ela como com a sua (III Jo 4,12/ Rm 1:8).

• Fale somente a verdade nas questões de julgamento (Pv 31:9). Defendo o inocente (Sl 82:3).

• Entristecer-nos pelas fraquezas dos outros (Sl 119:158) e não espalhálas (Pv 17:9), mas ajudá-las.

• Receba prontamente as boas informações e rejeite as más (I Co 13:4-7/ Sl 15:3).

• Evite aquilo que pode gerar maus comentários sobre você – e defenda sua honra! II Co 11:18,23/ Pv 22:1/ Jo 8:49/ I Ts 5:22.

IV-Cristo e o Nono Mandamento

A expressão de Paulo em Rm 3:4 “Seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso” nos mostra a nossa incapacidade natural de cumprirmos perfeitamente esse mandamento. Outro texto que nos fala dessa incapacidade é (Tg 3:8) “Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal”.

Contudo, quando olhamos para Cristo vemos que ele cumpriu perfeitamente esse mandamento por nós, pois “na sua boca não se achou engano” (1Pe 2:22).A justiça de Cristo nos foi atribuída, pois de outro modo não poderíamos adentrar em sua presença, pois os mentirosos não tem parte no Reino de Deus (Ap 21:8; 22:15).

Aplicação:

1-Nossas palavras podem ter poder destrutivo, poderemos até mesmo cometer assassinato através delas.

2-Falar somente a verdade no mundo pós-moderno, pode não nos fazer populares, mas importa obedecer a Deus do que ao homens.

3-O Deus da Verdade é razão pela qual a verdade é louvada e a mentira é considerada errada.






Nenhum comentário:

Postar um comentário