segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Abraão, Alvo da Graça Redentora para o Estabelecimento do Reino de Deus- Gn 11: 27 – 12: 1 – 9


INTRODUÇÃO:

Estudamos a semana passada sobre a rebelião em massa contra Deus através da Torre de Babel. Ao invés de se espalhar pelo mundo, o povo resolveu edificar uma cidade e erigir uma torre que chegasse até aos céus, tornando assim, célebre o seu nome.

Eles queriam ser famosos, mais uma vez o pecado humano coloca em perigo o bom reino de Deus. Mas, Deus desfez essa rebelião humana confundindo-lhes a língua e espalhando-os por toda a terra.

Com o propósito de restabelecer o seu reino na terra, Deus decide recomeçar com uma terceira pessoa: primeiramente Adão, depois Noé e, agora Abrão.

1.       Abraão Era Um Personagem Improvável Para o Estabelecimento do Reino.

Na tarefa de estabelecer o Reino de Deus, Abrão é um candidato improvável, ele é casado com Sarah, que era estéril (vs. 30). Era filho de Terá, que foi adorador de ídolos, então, consequentemente, Abraão também era um idólatra (Josué 24: 2).

João Calvino afirma: “Abraão estava imerso na imundícia da idolatria, e agora Deus Gratuitamente estende a sua mão para trazer de volta o peregrino” (Comentário de Gênesis I, pg. 343).

Abrão não é merecedor de nada. Mas, Deus o usa para dar continuidade a sua igreja e expandir o seu reino na terra.

2.       Abraão Atendeu o Chamado de Deus Para o Cumprimento do Seu Propósito.

Deus quer que Abrão rompa completamente com o seu passado e parta para um começo novo com Deus (vs. 1).

Com certeza não foi fácil para Abraão atender o chamado de Deus. Na antiguidade as pessoas permaneciam em seus países, onde era território familiar, onde havia segurança, onde estava o seu meio de vida.
Deixar a casa de seu pai era o mesmo que abandonar sua própria identidade, a casa de seu pai é a sua casa, os bens de seu pai são os seus.

 E ainda, “para uma terra que eu te mostrarei”, ou seja, inicialmente Abrão não sabia para onde teria que ir. Decisão difícil, mas ele atendeu o chamado de Deus.

3.       Abraão Evidenciou Fé Nas Promessas de Deus.

Nesse processo, Deus encoraja Abraão, prometendo-lhe 3 bênçãos: primeiro Deus conta a Abraão as grandes coisas que planeja pessoalmente para ele: "Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção” (vs. 2).

Em seguida, Deus amplia a bênção de Abraão para os seus contemporâneos: “abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem”. E por fim, Deus amplia a bênção de Abraão a todas as nações: “em ti serão benditas todas as famílias da terra” (vs. 3).

Abraão obedeceu por fé (vs 4). “Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia” (Hebreus 11:8).

4.       Abraão Ergueu Altares ao SENHOR Quando Chegou à Terra Prometida.

O Servo de Deus e Sarah andaram cerca de 740 km com rebanhos e gado atravessando a terra de Canaã de Norte ao Sul, até chegar ao Carvalho de Moré – provavelmente a árvore de algum adivinha onde os cananeus iam ouvir os oráculos de seus deuses. Ali já estavam os cananeus, os descendentes de Canaã, o neto que Noé tinha amaldiçoado.

Diante da promessa de Deus, Abraão não desanima (vs. 7), tão logo ele ouve que essa é a terra que Deus dará a sua descendência, ele “edifica um altar ao Senhor”.

Exatamente no centro de Canaã, tendo em vista um santuário cananeu, Abraão ergue o primeiro altar ao SENHOR.

Então, ele se move mais para o sul, para Betel (vs. 4). E novamente “edificou um altar ao SENHOR”.

Por que Abraão ergue altares ao Senhor?

Abraão está na terra prometida por Deus aos seus descendentes. Ele vê os cananeus adorando seus falsos deuses. Então, Abraão ergue altares ao Deus Verdadeiro. Em outras palavras, Abraão estava reivindicando essa terra para o Senhor. Ao erguer altares ao Senhor, Abraão dedica essa terra para adoração e o culto ao Senhor.

APLICAÇÃO:

1.       A Graça de Deus Alcança Pessoas Indignas.

A graça de Deus alcançou Abraão, um homem idólatra. Deus o escolhe para dar sequência ao seu propósito de estabelecer seu reino bendito na terra. Percebamos irmãos, que em Abraão não havia mérito algum, Deus o chama de forma soberana para um projeto maravilhoso, apesar da indignidade de Abraão.

Assim, também aconteceu conosco, o Eterno Deus nos escolheu para a salvação sem que em nós houvesse qualquer merecimento. O Senhor alcança pessoas indignas, que tem consciência dos seus pecados e de sua necessidade de Salvação, a qual só pode ser suprida em Jesus Cristo.

2.       Deus Tem Um Propósito Universal no Estabelecimento do Seu Reino.

Devemos entender que a história Bíblica é a história da salvação. Quando Deus escolhe Abraão e depois chama Israel para reivindicar a Terra de Canaã para o Seu reino, Deus tem um propósito universal, que é alcançar com a sua salvação todas as nações.

Conforme o versículo 3: “e em ti serão benditas todas as famílias da terra”. Ou seja, no descendente de Abraão, que é Jesus Cristo (Gl. 3: 16), e no Israel espiritual (não étnico) unido com Cristo (Gl. 3: 29), as famílias da terra são salvas e, portanto, benditas.

3.       A Igreja de Deus é Um Agente da Graça Redentora Para o Estabelecimento do Reino.

Depois da sua morte e ressurreição, Jesus ordenou aos seus discípulos: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações” (Mt. 28: 19). Prestaram atenção ao paralelo com a ordem de Deus a Abraão?

Assim como Deus deu a Abraão uma tarefa difícil, “sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai”, Jesus também diz aos seus discípulos: "Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim. Quem acha a sua vida a perderá, e quem perde a sua vida por minha causa a encontrará” (Mateus 10:37-39).

O nosso Rei, Jesus Cristo, está nos convidando para fazer parte da sua missão redentora. É uma missão difícil, temos que deixar os nossos interesses particulares e dedicar nossa vida totalmente na adoração a Deus, entendendo que tudo que temos e somos devemos disponibilizar para o estabelecimento do Reino de Deus na terra.

CONCLUSÃO:

Juntar-nos a essa missão nos colocará ao lado do vencedor. Por que essa missão, por mais difícil que seja, será vitoriosa. No livro de apocalipse, João registra um vislumbre desse triunfo final ao ouvir o novo cântico entoado no céu depois da ascensão de Jesus:

“E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra” (Ap. 5:9-10).


Nenhum comentário:

Postar um comentário