domingo, 24 de novembro de 2013

Jesus chama os indesejáveis - Mc 2. 13-17

Introdução:

Nenhum de nós gosta de pagar impostos, ainda mais num país onde os impostos geralmente não são transformados em melhorias para a população. Ninguém gosta de receber cobranças como IPVA, IPTU aliás, ninguém gosta de receber cobrança alguma. Não existe nada mais constrangedor. E que eu saiba, ninguém gosta de cobradores.

A história que estudaremos nesta noite é a história de um cobrador de impostos que foi salvo por Jesus.

O contexto dessa passagem nos mostra que logo após ter curado um paralítico numa casa que estava abarrotada de pessoas, Jesus foi para junto do mar (v. 13). Mas novamente ele estava cercado por muitas pessoas.

I- SOMENTE OS CHAMADOS POR JESUS O SEGUEM (v. 14).

“Quando ia passando, viu a Levi, filho de Alfeu, sentado na coletoria e disse-lhe: Segue-me! Ele se levantou e o seguiu”.

Obeserve que no verso 13, bem como durante todo o ministério de Jesus ele sempre tem uma multidão no seu encalço, contudo, quando Jesus é crucificado e após ressuscitar, nós só encontramos 120 pessoas no início do livro de atos que verdadeiramente o seguiam. Por que isso acontece? Por causa do chamado eficaz.

A CFW no seu cap. X descreve o chamado eficaz nos seguintes termos:

“Todos aqueles que Deus predestinou para a vida, e só esses, é ele servido, no tempo por ele determinado e aceito, chamar eficazmente pela sua palavra e pelo seu Espírito, tirando-os por Jesus Cristo daquele estado de pecado e morte em que estão por natureza, e transpondo-os para a graça e salvação. Isto ele o faz, iluminando os seus entendimentos espiritualmente a fim de compreenderem as coisas de Deus para a salvação, tirando-lhes os seus corações de pedra e dando lhes corações de carne, renovando as suas vontades e determinando-as pela sua onipotência para aquilo que é bom e atraindo-os eficazmente a Jesus Cristo, mas de maneira que eles vêm mui livremente, sendo para isso dispostos pela sua graça”.

Isso é o que acontece com Levi. (só a título de informação), esse Levi é, na verdade o apóstolo e evangelista Mateus (Mt 9. 9-13). Muitos estudiosos defendem que assim como Cefas que teve o seu nome mudado para Pedro, o mesmo tenha acontecido com Levi.

Observe que Levi não ouve da parte de Jesus nenhum discurso eleborado, nem tão pouco um apelo desesperado dizendo: “venha, pois eu tenho um plano maravilhoso para a sua vida”.

Dietrich Bonhoeffeer, mártir cristão durante o regime nazista, resumiu em uma frase o chamado de Jesus. Ele disse: “Quando Cristo chama um homem, ele o chama para que venha e morra”.

Essa frase não significa que todos nós teremos uma morte de mártir, mas sim, que todos nós devemos entregar tudo diariamente a fim de seguir a Cristo. E foi, justamente isso que Levi fez.

Aplicação:

As vezes nós somos tentados a adocicar o chamado de Jesus, manipulamos alguns textos do Evangelho a fim de tornar a mensagem da cruz mais atraente aos pecadores. Mas ao agirmos desse modo nós pecamos. Pecamos por não confiarmos na eficácia do poder da pregação. Muitas pessoas dizem hoje em dia: “Jesus é educado ele bate na porta do seu coração, se você abrir ele entra”. Só que essa é uma mensagem falsa, quando uma casa está pegando fogo, e as pessoas precisam ser salvas o bombeiro bate o pé na porta e arromba a porta. Quando alguém está se afogando, o salva-vidas não pergunta se essa pessoa aceita ser salva.

II- JESUS CHAMA AQUELES QUE NÃO GOSTARÍAMOS QUE ELE CHAMASSE (v. 15).

“Achando-se Jesus à mesa na casa de Levi, estavam juntamente com ele e com seus discípulos muitos publicanos e pecadores; porque estes eram em grande número e também o seguiam”.

O grupo dos doze discípulos de Jesus não era nada homogêneo. Haviam pescadores, publicanos, fanáticos religiosos (zelotes) e posteriormente, um fariseu (Saulo).

Quando Levi foi chamado o seu posto de trabalho era na galiléia, perto do mar. Provavelmente ele cobrava impostos dos pescadores. Imagine a cara de Pedro, Tiago e João que eram pescadores. Imagine a cara de Simão o zelote, que odiava o império Romano, e Levi era funcionário desse império.

Aplicação:

As vezes Jesus chama aqueles que nos embaraçam. Muitas vezes lemos histórias como essa, que demonstram a graça soberana de Deus nos evangelhos e nos alegramos. Contudo, a nossa alegria logo passa se Jesus chamar alguém que nos ofendeu no passado, alguém que nós não gostamos, alguém que nos deu prejuízo etc.

Imagine a reação da igreja primitiva quando ele chamou Saulo... mas Deus faz isso para nos ensinar que ninguém é digno, todos são indígnos, ele faz isso para nos humilhar, ele age assim para que nós arranquemos do nosso coração toda hipocrisia e raiz de amargura.

Não eram somente os discípulos que estavam (possivelmente) incomodados com os publicanos, mas principalmente os farizeus (v. 16). “Os escribas dos fariseus, vendo-o comer em companhia dos pecadores e publicanos, perguntavam aos discípulos dele: Por que come [e bebe] ele com os publicanos e pecadores?”

III- JESUS VEIO PARA OS DOENTES E PECADORES (v. 17).

“Tendo Jesus ouvido isto, respondeu-lhes: Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes; não vim chamar justos, e sim pecadores”.

Nos dias de Jesus, assentar-se à mesa com alguém significava ter comunhão com aquela pessoa. Significava que você não tinha restrições para com aquela pessoa. Não significava como hoje você sentar-se em uma praça de alimentação com alguém que você não conhece e muitas vezes nem quem conhecer.

A resposta de Jesus aos fariseus revela-nos o cerne da sua missão. Se Jesus não veio para os pecadores a sua missão era totalmente sem propósito, pois se o homem está são, logo, ele não necessitaria de um salvador.

Jesus veio para aqueles que se reconhecem pecadores. Todo doente procura um médico, e todo o verdadeiro médico quer trazer cura para os doentes.

Conclusão:

Nós começamos essa exposição mostrando um homem que era um cobrador de impostos. Um simbolo de corrupção e do domínio de Roma. Alguém que era odiado e um embaraço para muita gente. Era um homem a quem muita gente devia.

Mas agora esse homem foi encontrado por Jesus, e se antes ele fora excomungado pelos israelitas como um traidor, agora ele faz parte do verdaderiro israel de Deus. Se antes muita gente devia dinheiro a ele, agora ele se acha na presenta daquele que é o dono de tudo, portanto ele agora é quem reconhece ser um devedor.

Nós também somos como esse homem, seja antes ou depois da conversão. Somos etenos devedores, mas ele disse: “está pago!”.

Vamos orar...










2 comentários: